Revendedores de gás apresentam demandas em reunião na Câmara na cidade de Cascavel

Fonte: CGN

 

Segundo o Sinegás, das 137 revendas autorizadas em Cascavel, 57 fecharam recentemente...

 

Nesta quinta-feira (22) o vereador Policial Madril (PMB) organizou uma reunião com representares do setor de revenda de gás em Cascavel, o Sindegás, sindicato da categoria, Secretarias de Meio Ambiente, Finanças, Cettrans, Corpo de Bombeiros, ACIC (Associação Comercial e Industrial de Cascavel) e os vereadores Serginho Ribeiro (PPL), Celso Dal Molin (PR), a diretoria legislativa da Câmara e assessores parlamentares.

Dentre as reivindicações, está a proposição de uma lei municipal que garanta a efetividade da legislação estadual aprovada em dezembro de 2017, que proíbe supermercados, hipermercados e qualquer outro estabelecimento não autorizados pela Agência Nacional do Petróleo, no Paraná, de vender o vale gás. De acordo com Madril, “os revendedores afirmam que os supermercados criam uma concorrência desleal, pois conseguem praticar um preço inviável por não precisarem manter estoques e empregar pessoal”. No Paraná são 4.700 revendedores de gás, que vendem mensalmente mais de dois milhões e 200 mil botijões de 13 kg, o gás de cozinha. 

A representante do Sinegás, Sandra Ruiz, apresentou dados mostrando que das 137 revendas autorizadas em Cascavel, 57 fecharam recentemente, especialmente em função da concorrência com os estabelecimentos que vendem valegás e pelo alto custo para regularizar o negócio e obter todas as licenças. Esta é, por sinal, outra reinvindicação da classe, que pede a flexibilização das leis relativas às autorizações ambientais e demais tributações. Para os revendedores, além de taxas muito altas, a continuidade do comércio fica prejudicada pela concorrência com vendedores irregulares ou clandestinos.

Secretaria de Meio Ambiente, Corpo de Bombeiros e Cettrans esclareceram que as taxas e autorizações são necessárias em função da atividade estar enquadrada como de alto risco e potencial poluidora. No entanto, os órgãos se colocaram à disposição para receber denúncias por telefone e pessoalmente.

“Para que seja possível a efetiva fiscalização do setor e garantir o negócio e os empregos gerados pelas revendas, vamos estudar a apresentação de um projeto de lei oficializando quem pode, de fato, vender o gás e a quem cabe fiscalizar aqui em Cascavel”, afirma Madril.

 

Link: https://cgn.inf.br/noticia/282960/revendedores-de-gaas-apresentam-demandas-em-reuniaao-na-caamara 

Deixe um comentário

Certifique-se de preencher os campos indicados com (*). Não é permitido código HTML.